Piódão | Estrada Real: 12 em Rede

Data Inicial: 25-09-2021
Data Final: 25-09-2021

 

PROGRAMA:
Sexta-feira, dia 24 de setembro
– 18h00 – Bem-vindo a Piódão – “Piódão ao piano” – espetáculo de piano, com Miguel Neves

Sábado, dia 25 de setembro
– 10h30 – Showcooking: “Na cozinha da avó: sabores de CÁ”, como chef Fábio Bernardino
– 11h45 – Workshop de Rodilhas com Vanda Andrés: “Quem não pode com o pote, não pega na rodilha”
– 15h30 – Visita acompanhada pela aldeia: “O caminho do pão”
– 16h15 –  Tocata tradicional pela aldeia com o Rancho Folclórico “ Os Malmequeres” da Cerdeira
– 18h15 – Concerto Laurent Filipe trio
– 19h30 – Concerto Manel Cruz

A Aldeia Histórica de Piódão imerge novamente no tempo para trazer aos dias de hoje as tradições e costumes mais vincados desta aldeia agasalhada pela montanha e que em tempos foi um refúgio estratégico, dadas as dificuldades de acesso, de nobres e criminosos foragidos. Estes fora-da-lei e proscritos também fizeram de Piódão, mais concretamente da Estrada Real que outrora por ali passava e se mantinha uma importante rota comercial entre a Beira Litoral e a Beira Interior, um trilho de assaltos a caravanas de comerciantes. Mas Piódão e a Estrada Real são e foram muito mais do que isso.

As memórias das muitas lendas e estórias deste sinuoso percurso que chegavam até à aldeia deslumbram hoje quem as escuta. Estas, ao contrário daquilo que resta hoje da Estrada Real não podem ficar nas suas agora ruínas, é tempo de as trazer ao presente. É tempo de reavivar o quotidiano daqueles homens e mulheres que vindos dos mais diversos lugares da serra do Açor subiam até à cumeada para descarregar as mercadorias que lhes chegavam de outras regiões, levando de volta os produtos cultivados na terra dos socalcos ou transformados nos moinhos e lagares do Piódão.

São estas ligações das pessoas da serra aos almocreves e negociantes que por ali passavam em caravanas de mulas e carros de bois, reminiscências que aliadas aos costumes tão singulares tornaram esta encosta xistos, no Piódão de hoje. Surgem assim em retrospetiva e para dar o mote a um dia de festa, no dia 25 de setembro, no qual se se pretende experienciar as vivências das gentes de Piódão, de hoje e de outrora, num contraste e comunhão perfeitos entre o passado e o presente, o que foi e o que agora é.

Os tempos passaram, os costumes mudaram mas as memórias, essas são tao firmes como o xisto que forma as casas e que como elas resistirão através dos tempos para contar estórias de épocas que já aqui não moram.