Arganil recebe Secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território no Dia da Árvore e das Florestas

O Município de Arganil, o grupo Jerónimo Martins e a Escola Superior Agrária de Coimbra (ESAC) assinalam o Dia Internacional das Florestas e o Dia Mundial da Árvore, no próximo dia 21 de março, com um programa inteiramente dedicado ao projeto «Floresta da Serra do Açor», que vai contar com a presença do Secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território, João Paulo Catarino.

O programa desenhado para celebrar este dia pretende, em larga medida, evidenciar as operações de manutenção, que, por serem menos populares do que as ações de plantação, sobejamente propagadas nesta data, são tantas vezes desconsideradas. Além da visita de campo ilustrativa das ações desenvolvidas, está prevista uma sessão de trabalhos numa das zonas de intervenção do projeto, que inclui operações de desramação e poda, limpeza de caldeiras, controle de vegetação ao redor das jovens plantas, colocação de tutores e controle de vegetação invasora. Estas operações vão ser coordenadas e acompanhadas pelos técnicos do Município de Arganil e por docentes da ESAC.

“Tendo com conta a magnitude do projeto que temos em mãos e a importância que o mesmo terá na valorização do nosso território, assumimos como nossa a responsabilidade de sensibilizar a comunidade para a necessidade e importância de todo o trabalho que ocorre depois de plantada 1 ou, neste caso, 1,8 milhões de árvores”, frisa Luís Paulo Costa, presidente da Câmara Municipal de Arganil.

O projeto «Floresta da Serra do Açor», financiado em cerca de 5 milhões de euros pelo Grupo Jerónimo Martins, no âmbito do mecenato, está a reflorestar, valorizar e transformar de forma inovadora e integrada a paisagem do concelho de Arganil, devastada pelos incêndios de outubro de 2017. Pensado para um horizonte temporal de 40 anos, este projeto sem paralelo no país levou até às encostas da Serra do Açor, no primeiro ano de implementação (2020/2021), mais de 300.000 árvores.

Até 2025, vão ser plantadas 1 milhão e 841 mil de árvores de espécies maioritariamente autóctones, mais resilientes e mais resistentes ao fogo, revitalizando uma área total de 2.500 hectares, composta maioritariamente por terrenos baldios. Entre 2026 e 2061, após as operações de (re)arborização, será concretizado o tão necessário e importante trabalho de gestão integrada do espaço florestal.



Artigos Relacionados