Alteração ao projeto de Requalificação do Espaço Público de Arganil apresentada na Câmara Municipal

Decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho, esta quarta-feira, dia 11 de abril, a apresentação pública da alteração ao projeto de Requalificação do Espaço Urbano Público da Vila de Arganil. Perante uma plateia manifestamente interessada e participativa, Luís Paulo Costa, Presidente da Câmara Municipal de Arganil, conduziu a sessão de abertura, apresentando aos arganilenses o propósito da elaboração de um novo projeto de recuperação do centro histórico.

“Houve um conjunto de situações que contribuiu para que o resultado do que foi feito até agora não fosse aquele que era o resultado esperado: houve algumas opções do ponto de vista dos materiais que não correram bem e problemas relacionados com a prática de trabalho do empreiteiro, que claramente não teve o melhor desempenho”, começou por anunciar.

A finalidade do projeto de intervenção, destacou Luís Paulo Costa, vai muita para além do embelezamento da zona histórica de Arganil, fazendo com que se torne mais funcional e se assuma como um polo de atratividade e de maior dinâmica comercial e económica. “Aquilo que contratualizámos foi a elaboração de dois projetos: um projeto para aquilo que está ainda por fazer, que queremos que seja bem feito, que funcione bem; e outro que tem a ver com aquilo que está feito, que é uma decisão mais difícil de tomar e que não queremos tomar isoladamente”.

“Em relação àquilo que está por fazer e que está considerado na área de intervenção desta candidatura, é a componente que assume, neste momento, principal prioridade e uma das razões de estramos aqui hoje”, afirmou o Presidente da Câmara, dando a palavra, de seguida, aos projetistas responsáveis pela reformulação do projeto de execução da empreitada de reabilitação do centro histórico.

Através das imagens do novo projeto, os arquitetos António Monteiro e João Branco, do Estúdio Branco-Del Rio Arquitectos, conduziram os presentes pelas renovadas ruas da vila de Arganil, explanando aquilo que são as prioridades da intervenção: “dar primazia à utilização do espaço público pelas pessoas, condicionando a circulação dos carros e libertando mais espaço para os peões”.

Após a apresentação de alteração ao projeto do centro urbano, seguiu-se o momento de intervenção do público, dando liberdade aos arganilenses, nomeadamente aos residentes e comerciantes do centro da vila, de apresentar sugestões e contributos, tendo em vista a eventual melhoria da proposta apresentada.



Artigos Relacionados