Câmara Municipal de Arganil vai integrar Rede Nacional de Arte Rupestre

A Câmara Municipal de Arganil, representada pela Vice-Presidente, Paula Dinis, consolidou a intenção de constituir a Rede Nacional de Arte Pré-história, numa cerimónia que teve lugar no Museu de Arte Pré-Histórica e do Sagrado do Vale do Tejo, em Mação, no dia 24 de junho. A formalização do ato constitutivo deste organismo intermunicipal, que conta com Arganil como único representante do distrito de Coimbra, está agendado para o próximo dia 9 de outubro, Dia Europeu da Arte Rupestre, no Museu do Côa, sede da futura Rede Nacional de Arte Pré-Histórica.

Esta nova entidade, que conta com a parceria de 30 instituições, vai permitir criar uma renovada rota turística, que vai englobar todo o interior do país, desde o Sul do Alentejo ao Norte de Portugal, sendo uma rede constituída, essencialmente, por municípios e organismos de ensino superior, com uma abrangência territorial considerável.

Revelando-se satisfeita e otimista com a parceria, Paula Dinis, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Arganil, considera que “o envolvimento neste projeto vai possibilitar a Arganil trabalhar em rede, de forma integrada e cooperativa, com outros municípios, permitindo que as mais de cem gravuras rupestres presentes na Freguesia do Piódão, um dos maiores e mais diversos núcleos de arte rupestre de Portugal, ganhem uma outra dimensão e cheguem a um público cada vez mais abrangente”.

A Rede Nacional de Arte Pré-Histórica, associação sem fins lucrativos, tem por missão promover, valorizar e capacitar os recursos patrimoniais e humanos das entidades integradas na Rede, potenciar o impacto e a missão dos sítios detentores de arte pré-histórica, instituir mecanismos de partilha de recursos físicos e humanos, criar canais de comunicação apropriados ao desenvolvimento de projetos colaborativos e promover a cooperação com redes internacionais congéneres.

 



Artigos Relacionados