CINEDITA 2021: A homenagem a Charles Chaplin e um fim de tarde de muita qualidade cinematográfica

Blue 52” de Catarina Nascimento, da Escola Artística Soares dos Reis, foi a grande vencedora da 6ª edição do festival de curtas-metragens CINEDITA, que teve lugar na passada sexta-feira, no Auditório da Cerâmica Arganilense, numa cerimónia marcada pela homenagem ao universo que envolve Charlie Chaplin e pelo limite de público, porém transmitido em streaming e com a mesma qualidade e criatividade a já nos habituou.

A concurso estavam um total de 14 curtas, pré-selecionadas de um universo de 43 candidatas este ano, distribuídas pelas categorias Ficção; Animação; Experimental e Documentário. Assistiu à cerimónia, a Vice-Presidente da Câmara Municipal de Arganil, Paula Dinis.

O júri composto por João Católico, Mestre em Ensino de Educação Visual e responsável pela coordenação do programa “Crianças Prime1rº”, do Serviço Educativo CINANIMA; Márcio Cortez, CEO na empresa de audiovisuais 2PLAY e, Tiago Cerveira, realizador de vários documentários premiados em festivais de cinema nacionais e internacionais, deu ainda a vitória na categoria Ficção a “Aquarium” de Aida Silva, Joana Pinto, João Oliveira, Dina Ferreira e Ricardo Teixeira, da RESTART – Instituto de Criatividade, Artes e Novas Tecnologias de Lisboa; na categoria Animação a “Creature of Habit”, de Beatriz Nunes Silva da Escola Artística Soares dos Reis; na categoria Documentário a “Arreigados” de Inês de Sousa também da Escola Artística Soares dos Reis e para melhor curta Experimental a “Apofenia” de Gonçalo Dias da Escola Superior de Educação de Coimbra. As curtas “Sensory Overload” (animação) e “Disposables” (experimental) arrecadaram ainda uma menção honrosa por parte do júri.

A edição de 2020 não se concretizou devido à situação pandémica porém e, uma vez que se deu início à sua realização com diversos trabalhos enviados, foi anunciada nesta edição apenas a melhor curta de 2020, cabendo a Marta Ribeiro da Escola Artística Soares dos Reis com “HOTARU” (animação).

O festival de curtas de Arganil – CINEDITA começou em 2016 em contexto de sala e hoje tem uma projeção nacional. Incluído no Plano Nacional de Cinema, tem esgotando todos os anos o Auditório da Cerâmica Arganilense. A organização cabe ao Agrupamento de Escolas de Arganil com apoio do Município de Arganil e premeia nas categorias de ficção, experimental, animação e documentário, o trabalho dos jovens do ensino secundário, profissional e superior, desde a sua estreia. CINEDITA é um festival que reúne a comunidade jovem cineasta e os especialistas nacionais da sétima arte e que culmina numa Gala de atribuição de prémios, envolvendo ainda oficinas, workshops e sessões de cinema.



Artigos Relacionados