Município de Arganil congratula-se com intervenção no Palácio da Justiça de Arganil

É com agrado que o Município de Arganil assinala o início das obras de conservação do Palácio da Justiça de Arganil, da responsabilidade do Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça (IGFEJ). A intervenção em curso desde o início do mês tem um prazo de execução de 3 meses e prevê a remoção e substituição das placas de fibrocimento da cobertura do edifício.

Os trabalhos contemplam, ainda, a impermeabilização da cobertura, com vista à resolução das infiltrações de água detetadas, e a aplicação de novo revestimento nas fachadas do edifício, de acordo com comunicação enviada à autarquia pelo IGFEJ, entidade responsável por gerir os recursos financeiros, patrimoniais e tecnológicos do Ministério da Justiça.

As novas soluções previstas ao nível da cobertura e da fachada vão contribuir para melhorar as condições de segurança e comodidade dos profissionais do Tribunal Judicial e da Conservatória do Registo Civil e Predial de Arganil que ali trabalham. Localizado na avenida principal, e tratando-se de um dos edifícios mais marcantes e emblemáticos de Arganil, os melhoramentos em curso vão contribuir para o reforço do caráter institucional do edifício, assim como para a valorização da paisagem urbanística da vila.

A intervenção no Palácio da Justiça de Arganil procede as intervenções de reabilitação concretizadas nas instalações da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo Beira Centro (CCAM), em 2019, e mais recentemente no edifício dos Paços do Concelho, contribuindo para enobrecer, modernizar e valorizar a avenida principal da sede do concelho. Prevista para breve está, ainda, a reabilitação da galeria hidráulica que acompanha subterraneamente esta artéria central e que está em risco de colapso.

A concretização deste desígnio vai permitir à autarquia, seguidamente, avançar para segunda fase da empreitada de requalificação do espaço urbano público da vila de Arganil, intervindo nas artérias sustentadas pela galeria hidráulica subterrânea: a Avenida José Augusto de Carvalho, a Avenida dos Bombeiros Voluntários Argus e a Avenida das Forças Armadas. As duas intervenções envolvem um investimento de aproximadamente 1 milhão e 500 mil euros, financiado no âmbito do Programa REACT-EU (Assistência de Recuperação para a Coesão e os Territórios da Europa).



Artigos Relacionados