Município de Arganil dá início à ampliação da Zona Industrial da Relvinha

O presidente da Câmara Municipal de Arganil, Luís Paulo Costa, assinou na passada sexta-feira, 25 de setembro, o auto de consignação da empreitada de ampliação da Zona Industrial da Relvinha Oeste, oficializando o arranque da intervenção cujo valor de investimento ascende aos 3,5 milhões de euros e o prazo de execução se estende por 12 meses.

Durante a sessão decorrida no Centro Empresarial e Tecnológico de Arganil, da qual fizeram parte os representantes das empresas Vítor Almeida & Filhos, S.A., e Go Walk, Lda., responsáveis, respetivamente, pela execução e fiscalização da obra, o líder do executivo camarário revelou-se manifestamente satisfeito pelo início de um dos projetos mais ambiciosos e desafiantes do mandato, que se propõe a dar garantias de futuro ao concelho de Arganil.

Na ocasião, o presidente da autarquia justificou a importância da intervenção com o impacto positivo que terá num concelho de baixa densidade como Arganil. “Este projeto assume-se como catalisador para a atração de empesas e preferencial e desejavelmente para a fixação de quadros qualificados, já que em termos de mão-de-obra menos qualificada estamos numa situação de pleno emprego”.

Com as máquinas já no terreno, a ampliação da futura área de localização empresarial da Relvinha entra agora na derradeira fase. Para trás fica um moroso e desgastante processo de avaliação de terrenos por peritos da lista oficial, produção de cartografia e cadastro, elaboração e aprovação de Plano de Pormenor, Estudo de Impacto Ambiental e expropriação de 318 parcelas de terreno. “Foi uma maratona exigente, de praticamente três anos, mas é compensador conseguir chegar a este ponto com sucesso”, apontou Luís Paulo Costa.

Concretamente, os trabalhos que agora iniciam têm em a vista a criação de 23 lotes para a instalação de empresas, com áreas a variar entre os 6.515m2 e os 37.409m2, num total de 239.788m2. Além desta, há uma área muito significativa de 226 mil metros quadrados afeta unicamente à faixa de proteção, que se reflete num esforço financeiro de 500 mil euros assumido exclusivamente pelo orçamento municipal.

Em termos globais, o investimento na requalificação da Zona Industrial da Relvinha Este, a decorrer desde o início deste ano de 2020, e na ampliação da Zona Industrial da Relvinha Oeste, totalizam mais de 5,5 milhões de euros, comparticipado em 4,1 milhões de euros por fundos europeus (FEDER, concedido através do Programa Operacional Regional CENTRO2020).

Isoladamente, a intervenção de ampliação do Polo Oeste compreende um investimento de 3,5 milhões de euros, aos quais acrescem 1,1 milhões de euros relativos à aquisição de terrenos e 220 mil euros afetos a projetos, estudos e encargos com a fiscalização. Já os trabalhos de reabilitação previstos para o Polo Este assumem um valor de 800 mil euros.

A forte aposta da autarquia através deste avultado investimento tem como objetivo o crescimento e a dinamização da futura área de localização empresarial da Relvinha, tonando-a mais atrativa a novos investidores, capacitada para captar investimento externo e preparada para oferecer emprego qualificado.



Artigos Relacionados