Regresso do rally a Arganil e à região Centro teve um retorno de 31 milhões de euros

A passagem do rally de Portugal por Arganil e pelo Centro de Portugal em 2019 resultou num retorno financeiro superior a 31 milhões de euros. O anúncio foi feito na passada terça-feira, 4 de fevereiro, durante a apresentação da edição de 2020 da prova, que decorreu nos Paços do Concelho de Coimbra e que contou com a presença de Luís Paulo Costa, presidente da Câmara Municipal de Arganil.

O retorno francamente positivo registado na região Centro, em resultado de um investimento de 600.000 euros, esteve em evidência durante a cerimónia, com a apresentação do “Estudo de Impacto da edição de 2019 na Economia do Turismo e Imagem do Destino”, da autoria do professor Fernando Perna, da Universidade do Algarve.

Trata-se de “o acontecimento desportivo que mais projeta Portugal no mundo e, em particular, as regiões Centro e Norte”, destacou o investigador, “ao contribuir para criar uma imagem favorável do território/destino, expandir a época turística no tempo, aumentar a procura turística, atrair visitantes internacionais e nacionais e incrementar os ganhos económicos no destino”.

Dando prova desse forte impacto, Luís Paulo Costa realçou, em particular, aquilo foi a projeção mediática do regresso da prova ao concelho, depois de uma ausência de 18 anos. “Medimos um retorno global na ordem dos 2,7 milhões de euros, através da valorização das mais de 500 notícias publicadas com referência a Arganil”, apontou o autarca arganilense, revelando-se satisfeito por “verificar que a projeção transpõe em grande medida as fronteiras de Arganil e dos municípios de toda a região que acolhem a competição”.

O território, coletivamente, tem muito a ganhar ao associar-se a este evento, notou o presidente da Câmara, lançando o desafio à Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra, no sentido de abraçar este que é o evento de maior dimensão e de maior projeção de toda a região. Dirigindo-se ao Automóvel Club de Portugal (ACP), parceiro de há muitos anos neste desafio que se tornou uma realidade em 2019, o presidente da autarquia garantiu que Arganil de tudo fará para que o rally e a região se continuem a afirmar dentro e fora de portas.

Por ser uma novidade, a edição do ano passado serviu de aprendizagem, quer para o ACP, quer os municípios envolvidos, sustentou Luís Paulo Costa. “Era um processo muito arriscado, tínhamos todos noção de que a questão da segurança era crítica, mas o civismo dos adeptos melhorou muito nos últimos 20 anos e temos todas as condições para fazer crescer a qualidade da classificativa”.

O prolongamento de 5 quilómetros no troço de Arganil vai trazer uma outra funcionalidade à organização da prova, permitindo criar um novo acesso do público à zona da prova, a partir da vila de Arganil e trazer mais movimento à sede do concelho. “Temos um caminho de progressão muito assinalável que coletivamente iremos percorrer, e acredito que 2020 vai confirmar aquilo que são as nossas melhores expectativas”, concluiu Luís Paulo Costa.

Além do presidente da Câmara de Arganil, que se fez acompanhar pelo vereador do Desporto, Luís Almeida, a cerimónia de apresentação do Vodafone Rally de Portugal 2020 contou com a presença dos presidentes dos restantes municípios da região Centro que acolhem a prova (Coimbra, Góis, Lousã e Mortágua), bem como o presidente do Turismo Centro de Portugal, Pedro Machado, o diretor desportivo do WRC Vodafone Rally de Portugal, Horácio Rodrigues, e o secretário-geral do ACP Motorsport, João Jordão.

A prova portuguesa do Mundial de Ralis realiza-se entre 21 e 24 de maio tem dupla passagem por Arganil no dia 22 de maio, sexta-feira.

Programa provisório

Sexta-feira, 22 maio 2020:

Coimbra – Partida 06h50
PE1/Lousã (12,35 km) 08h08
PE2/Góis (19,46 km) 09h08
PE3/Arganil (18,77 km) 10h08
Reagrupamento no Sub-Paço, Arganil
PE4/Lousã (12,35 km) 12h31
PE5/Góis (19,46 km) 13h31
PE6/Arganil (18,77 km) 14h31
PE7/Mortágua (18,24 km) 15h58
PE8/Lousada (3,36 km) 19h03



Artigos Relacionados