“O Enredo” – Rede de Castelos e Muralhas do Mondego

Data Inicial: 10-08-2019 21:30H
Data Final: 10-08-2019 23:30H
Localidade: Arganil
Local do Evento: Praça Simões Dias

 

SINOPSE “O ENREDO”

O ENREDO é um projeto cultural integrado na operação “Coimbra Região de Cultura”, promovido pela Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra e operacionalizado pela Rede de Castelos e Muralhas do Mondego.

Criada em 2011, a Rede é o resultado de um processo estruturado de cooperação entre municípios, entidades públicas e privadas que se propuseram implementar em comum um projeto de desenvolvimento territorial centrado em fatores distintivos patrimoniais e culturais, tendo como elementos âncora as estruturas militares que integraram a Linha Defensiva do Mondego ao tempo da Conquista Cristã e que hoje podem ser ainda identificados nos concelhos de Ansião, Coimbra, Condeixa-a-Nova, Figueira da Foz, Lousã, Miranda do Corvo, Montemor-o-Velho, Penela, Pombal e Soure.

O projeto integra três resultados:
– um espetáculo inédito, multidisciplinar e itinerante pelos monumentos da Rede, resultante de uma residência artística e integrando um artista por cada concelho da Rede;
– a exposição, criada como forma de partilhar o processo de construção do espetáculo;
– oficinas criativas promovidas por cada artista convidado.

O ENREDO é um espetáculo que envolve dança, teatro e música num muito feliz cruzamento de todas estas disciplinas.

Trata-se duma criação artística à volta da figura do Alvazil (ou duque) Sesnando Davides, forte personagem que marcou a paz e coexistência de vários povos e crenças nas margens do Mondego. A trama de O ENREDO desenrola-se contemplando o Mondego enquanto testemunha do que, no final da Cultura Moçárabe, mais relevante aconteceu nesse território.

Apesar de não perseguir uma estética historicista, O ENREDO foi construído baseado em alicerces científicos pretendendo contar uma estória da História.

O espetáculo é fruto da criação dum coletivo artístico performativo no qual estão representados dez artistas correspondentes a cada um dos dez Municípios (João Gama, de Ansião; Luís Travassos, de Coimbra; Pedro Camarinho, de Condeixa-a-Nova; Ricardina Lorigo, da Figueira da Foz; Márcia Francisco, da Lousã; Ricardo Grácio, de Miranda do Corvo; Bráulio Figo, de Montemor-o-Velho; Mário Mata, de Penela; Sofia Falcão, de Pombal; Rui Almeida, de Soure), sob direcção artística de André Varandas.

O ENREDO é, pois, um ponto de vista. E o que é um ponto de vista se não e apenas a vista que se tem a partir de um determinado ponto?…