Câmara de Arganil atribui Medalha de Altruísmo a Antonino Carvalho Bicho

A sessão solene comemorativa do Feriado Municipal de Arganil, realizada a 7 de setembro, ficou marcada pela entrega da Medalha de Altruísmo do Concelho, no grau de Prata Dourada, a Antonino Carvalho Bicho, que completa neste ano de 2019 vinte e cinco anos ao serviço do centro Social e Paroquial do Sarzedo.

Num momento particularmente emotivo, aclamado pelos presentes com um forte aplauso de pé, Luís Paulo Costa, presidente da autarquia, reconheceu “a excecional entrega e dedicação” demonstradas em defesa dos interesses do Centro Social e Paroquial do Sarzedo e dos seus utentes, sempre numa perspetiva da consolidação e de melhoria das valências.

“Entendemos que tínhamos o dever de homenagear aqueles que representam um verdadeiro exemplo de vida para a comunidade, detendo um legado marcante no concelho”, destacou Luís Paulo Costa, referindo-se, igualmente, às Medalhas de Ouro do Concelho que serão oportunamente entregues à Casa da Comarca de Arganil e a Carlos Barbosa. “A Câmara Municipal está-lhes muito grata por tudo o que fizerem e continuam a fazer em prol do concelho de Arganil”, reconheceu o autarca.

Visivelmente emocionado, Antonino Carvalho Bicho agradeceu a distinção recebida das mãos do presidente da Câmara, apressando-se a partilhá-la com quem consigo trilhou o caminho da causa social. “Dirijo esta medalha a todos que ao longo da vida me têm ajudado, apoiado e confiado em mim”, apontou o homenageado, sublinhando que o propósito das suas ações foi sempre “o trabalho comunitário”, desenvolvido em prol da sociedade.

Também Ricardo Pereira Alves, presidente da Assembleia Municipal, prestou o seu tributo ao homenageado, realçando a “determinação e o empenho que coloca em todos os projetos em que se envolve” e a forma “intransigente como sempre defendeu os interesses do seu Centro Social e da sua terra”.

O “trabalho e a dedicação no âmbito da ação social” mereceu, também, as felicitações de João Ataíde, Secretário de Estado do Ambiente, que presidiu à sessão solene de comemoração do Feriado Municipal.

Recorde-se que, a par da distinção a Antonino Carvalho Bicho, foram aprovadas na Reunião de Câmara de 3 de setembro as homenagens à Casa da Comarca de Arganil, a propósito da comemoração do 90.º aniversário, e a Carlos Barbosa, presidente do Automóvel Club de Portugal, pelo papel decisivo assumido no regresso do rally a Arganil, em maio deste ano.

O devido tributo à casa-mãe do regionalismo arganilense será prestado no dia 8 de dezembro, data do seu aniversário, enquanto a entrega da distinção a Carlos Barbosa será oportunamente anunciada.

*****

Nota biográfica de Antonino Carvalho Bicho

Antonino Carvalho Bicho, filho de Joaquim Carvalho Bicho e de Maria da Luz Paiva Carvalho, nasceu no Sarzedo, no dia 13 de abril de 1933. É casado com Dona Maria Alice Fernandes de Jesus e pai da Dra. Isabel Carvalho.

Aos 14 anos, iniciou a aprendizagem da arte de carpinteiro. Em 1957, já em Lisboa, para onde foi trabalhar, ingressou na Companhia Carris de Ferro de Lisboa.

Foi nos convívios de juventude em que participava que despertou o interesse pelo associativismo. A pretexto da inauguração da Casa da Criança em Arganil, nasceu o grupo folclórico que esteve na origem do Rancho Folclórico Flores do Alva (oficializado em 1949), do qual fazia parte tanto como componente como elemento dos corpos diretivos.

Até 1970 continuou a trabalhar na Companhia Carris, passando, nessa altura, à situação de aposentado, dedicando-se depois ao ramo da construção civil.

Nos anos de 1993 e 1997, candidatou-se à Junta de Freguesia do Sarzedo, tendo participado ativamente na vida autárquica da freguesia.

Foi entretanto Presidente da Direção da União Recreativa Sarzedense durante cinco mandatos. Hoje, mantem-se nos corpos sociais como Presidente do Conselho Fiscal.

Esteve também ligado à Associação Filarmónica de Arganil e ao Grupo Folclórico da Região de Arganil, como elemento dos respetivos corpos sociais.

Em 1994, foi convidado a ingressar nos corpos sociais do Centro Social e Paroquial do Sarzedo, ocupando, inicialmente um cargo no Conselho Fiscal e, depois, o lugar de Tesoureiro. Em 1995 resolveu dedicar-se, quase em exclusividade, ao Centro Social, aceitando o cargo de Vice-Presidente.

Quando assumiu o lugar de Vice-Presidente, a Instituição funcionava numa pequena dependência de um edifício antigo e tinha uma única valência, que era o Centro de Dia, com duas funcionárias no quadro de pessoal.

À custa de muito trabalho e alguns sacrifícios o Centro Social e Paroquial do Sarzedo é hoje uma realidade com uma dimensão completamente diferente: um complexo de edifícios novos, as valências de Lar, Centro de Dia, Apoio Domiciliário, Creche, ATL e Complemento de Horário e 37 funcionários, mantendo ainda uma rede de prestação de serviços com várias empresas locais e regionais.



Artigos Relacionados