Comemorações do Feriado Municipal presididas pelo Secretário de Estado do Ambiente

O Feriado Municipal de Arganil foi assinalado neste sábado, 7 de setembro, com a tradicional e emblemática sessão solene, este ano presidida pelo Secretário de Estado do Ambiente, João Ataíde. Honrado anfitrião, como começou por se descrever, Luís Paulo Costa, presidente da autarquia, realçou a importância da data para o concelho. “Enaltecemos Arganil e celebramos o espírito de união e partilha em que nossos concidadãos se reveem e que se assume como a base da nossa identidade coletiva”.

Perante a plateia que encheu o Salão Nobre, Luís Paulo Costa afirmou que o Feriado Municipal tem de ser visto como “um dia de reconhecimento e de gratidão, numa elevada manifestação de justiça para com as empresas, as instituições e as associações do concelho”, bem como para com “todos arganilenses, que nas mais diversas áreas contribuíram e continuam a contribuir para o engrandecimento da nossa terra”.

Motivados pela atitude de “orgulhosos beirões”, o autarca sublinhou o trabalho do executivo, desenvolvido em consonância com a responsabilidade assumida de “criar condições favoráveis aos munícipes, às empresas e às instituições; de construir soluções e responder adequada e assertivamente aos desafios, quer coletivos, quer individuais”.

A forma diligente e célere como o Município atuou no sentido de recuperar a rede viária, os equipamentos e infraestruturas afetadas pelos incêndios, apesar da demora registada na disponibilização verba do Fundo de Solidariedade da União Europeia, mereceu destaque por parte do líder do executivo. Em Arganil “o assunto foi encarado com total prioridade e, três meses depois do financiamento ser contratado, de um total de 19, uma empreitada está concluída, 15 empreitadas encontram-se a decorrer a bom ritmo e há ainda uma empreitada que está em fase de procedimento de contratação pública”.

Luís Paulo Costa realçou, de igual modo, os progressos realizados no processo de qualificação e ampliação da Zona Industrial da Relvinha, Sarzedo. Ainda neste mês de setembro “será assinado contrato de empreitada para qualificação da Relvinha Este”, cuja intervenção “contabiliza um investimento na ordem dos 750 mil euros”. Em relação à zona Oeste, “das 318 parcelas de terreno necessárias para esta ampliação, 156 já foram adquiridas pelo Município e a grande maioria das restantes encontram-se a aguardar escritura”. Este investimento na ampliação da Zona Industrial, informou, “totaliza cerca de 3,5 milhões de euros”.

Os 10 milhões de euros destinados à melhoria da qualidade de distribuição de água e tratamento de águas residuais; a requalificação do Posto de Turismo/Núcleo Museológico e do Largo da Aldeia Histórica do Piódão, que representa um investimento na ordem dos 400 mil euros e vai tornar a aldeia mais acessível e inclusiva, mereceram também destaque por parte de Luís Paulo Costa durante a sua intervenção.

Um conjunto de investimentos realizados em benefícios do “interesse público” e do “interesse coletivo”, frisou. “Fazemos parte da grande maioria de arganilenses que quer o melhor para a nossa terra e para o nosso concelho”, acrescentou. “Em boa verdade, todos os verdadeiros arganilenses são assim; todos os verdadeiros arganilenses rejubilam quando se cumpre o interesse público; quando o concelho fica melhor; quando a nossa terra conquista investimento; quando se acautelam os superiores interesses de Arganil”.

Apelo ao Secretário de Estado do Ambiente

Já na parte final da intervenção, Luís Paulo Costa apelou à atenção do Secretário de Estado do Ambiente para “dois assuntos que têm tanto de preocupantes como de fulcrais para Arganil”. A galeria Subterrânea da Ribeira de Amandos, construída há cerca de 70 anos, “padece de graves fragilidades”. Carece, por isso, “de uma urgente intervenção por questões de segurança”, anunciou o autarca, admitindo ser necessário que “o Estado apoie financeiramente o Município na concretização desta urgente intervenção”. Em resposta, João Ataíde garantiu que o apelo vai ser analisado, aproveitando para felicitar o Município, em particular, “pelo esforço que tem feito em torno políticas ambientais”.

“O segundo assunto”, enumerou, “está relacionado com o projeto de construção da “Pequena Central Hidroelétrica do vale das Botas”, que “terá gerado para o Estado cerca de 800 mil euros”. Para o líder do executivo, “se este projeto for concretizado, tal situação constituirá um duro revés para o concelho de Arganil”.

Luís Paulo terminou a sua intervenção convidado os presentes a visitar a 38.ª FICABEIRA e Feira do Mont’Alto 2019, que decorre no Parque do Sub-Paço até domingo, 8 de setembro.



Artigos Relacionados