Município de Arganil é finalista no concurso “Município do Ano 2016”

um cidades-municipio do ano 2016

O Município de Arganil é um dos quatro finalistas regionais candidatos ao prémio “Município do Ano 2016”, ao qual concorreu com o projeto “Arganil – Capital do Rally. Ao todo são nove regiões a concurso, num total de 36 finalistas. O vencedor será anunciado no dia 3 de junho, em Sagres, nesta que é a terceira edição do evento.

O concurso “Município do Ano”, iniciativa da Universidade do Minho que pretende distinguir os municípios que tenham lançado projetos inovadores, com impacto na economia, território e sociedade e que promovam o crescimento, a inclusão e a sustentabilidade, selecionou o Município de Arganil e o projeto “Arganil – Capital do Rally” como um dos quatro finalistas na sua categoria. As diferentes categorias concedem dez distinções regionais, sendo elas: Município do Ano Norte; Município do Ano Norte (menos de 20 mil habitantes); Município do Ano Centro; Município do Ano Centro (menos de 20 mil habitantes); Município do Ano Alentejo; Município do Ano Algarve; Município do Ano Regiões Autónomas; Município do Ano Área Metropolitana do Porto; Município do Ano Área Metropolitana de Lisboa e uma distinção nacional: Município do Ano Portugal 2016.

O Município de Arganil, de um total inicial de 93 municípios a concurso, encontra-se apurado para a categoria “Região Centro – menos de 20.000 habitantes” a par dos municípios da Batalha com o projeto Recuperação da Aldeia da “Pia do Urso”; Miranda do Corvo com o projeto “Centro de Estágio de Trail Running e BTT” e Penacova com o projeto “Memória de Penacova”.

O projeto “Arganil – Capital do Rally” levado a efeito entre 16 de janeiro e 6 de março no espaço nobre da Cerâmica Arganilense, recordou em exposição anos de história do Rally de Portugal, de Arganil e das suas gentes. Símbolo, em si mesma no seu arrojo e dimensão histórica, foi um coração vibrante, onde passado, presente e futuro se fundiram. O papel assumido por Arganil durante anos, no que ao Rally de Portugal diz respeito, foi aqui apresentado como imagem que marca a memória e a identidade do concelho através de diferentes suportes que proporcionaram a interatividade entre o conteúdo e os 5.000 visitantes que durante dois meses passaram pela exposição.



Artigos Relacionados