Centro Interpretativo de Arte Rupestre de Chãs d’Égua esteve no I Encontro Nacional de Arte Pré-Histórica em Foz Côa

O Museu do Côa acolheu na quarta-feira, dia 9 de outubro, o I Encontro Nacional de Arte Pré-Histórica, assinalando assim e pela primeira vez o Dia Europeu de Arte Rupestre.

Com o principal objetivo de dar a conhecer a Arte Rupestre existente no país, com especial enfoque nos sítios mais emblemáticos de arte pré-histórica portuguesa e menos conhecidos do público, reforçando assim os esforços de aproximação institucional que têm vindo a ser desencadeados, surge num momento em que um conjunto alargado de entidades representativas do território nacional, como é o caso do Município de Arganil, com responsabilidades na gestão do património e na investigação arqueológica, iniciaram um processo de constituição da Rede Nacional de Arte Pré-Histórica, com o propósito de ser mais um ator no desígnio de educar para o conhecimento e para a fruição de conteúdos culturais.

Com efeito, o Município de Arganil esteve neste Encontro representado através do Centro Interpretativo de Arte Rupestre de Chãs d’Égua, o qual foi apresentado pelo arqueólogo da Câmara Municipal de Arganil, Fernando Neves, com o intuito de promover e dar a conhecer o património deixado pelos nossos antepassados no concelho de Arganil, que se encontra materializado em algumas rochas da Serra do Açor.



Artigos Relacionados