Coja festejou mais um aniversário da atribuição do Foral Manuelino

A vila de Côja retrocedeu ao século XVIII, no passado dia 14 de setembro, para celebrar um dos momentos mais marcantes da sua história, a atribuição do Foral por el-Rei D. Manuel, em 1514, que veio reafirmar o já concedido, em 1260, por D. Egas Fafes, Bispo de Coimbra.

Quinhentos e cinco anos volvidos desde o icónico dia 12 de setembro de 1514, Côja mantém a personalidade que lhe valeu a confirmação enquanto concelho, com as suas gentes a associarem-se à recriação história de um mercado da época que decorreu, durante todo o dia, na Rua Dr. José Albano de Oliveira e Praça Dr. Alberto Vale.

As centenas de visitantes tiveram a oportunidade de adquirir produtos e artesanato local, participar em jogos tradicionais transversais a todas as idades e degustar a típica papa laberça, num ambiente histórico-cultural ímpar, de enriquecimento de todos quantos por lá passaram.

A iniciativa que resultou do trabalho conjunto da Câmara Municipal de Arganil e da União das Freguesias de Coja e Barril de Alva, com a participação de excelência das associações, comerciantes e artesãos daquela freguesia, surge na sequência de outras atividades análogas, dinamizadas no passado, e da aposta constante da autarquia na descentralização da Cultura, aproximando-a de todas as freguesias do concelho.

As comemorações contaram ainda com as inaugurações da Avenida 12 de setembro e do parque infantil, no Prado, e com a apresentação do livro “Côja no século XVIII: Os territórios do Bispo-Conde Conimbricense na visão de um cientista da época”, de Baltazar da Silva Lisboa, na Biblioteca Aberto Martins de Carvalho.



Artigos Relacionados