Executivo camarário realiza jornada de trabalho em Cepos e Teixeira

O executivo da Câmara Municipal de Arganil retomou, esta terça-feira, o ciclo de presidências participativas, promovendo na União das Freguesias de Cepos e Teixeira uma nova jornada de trabalho. Luís Paulo Costa, Paula Dinis, Luís Almeida e Érica Castanheira, acompanhados pelo executivo da junta, liderado por José Costa, percorreram as localidades daquela união de freguesias para visitar e avaliar as obras realizadas e planear novos projetos para o território.

“À margem de um quadro de pandemia que nos mereceu muito tempo e empenho nos últimos meses, entendemos que era chegada a altura de recuperar este modelo de convite à participação e de proximidade com os nossos cidadãos, prosseguindo com o plano de ação definido para as nossas freguesias”, esclarece Luís Paulo Costa.

Fruto deste planeamento estratégico e do trabalho articulado com a união de freguesias, Cepos e Teixeira beneficiaram, ao longo dos últimos dois anos e meio, de um investimento de 850 mil euros, aos quais se juntam os mais de 130 mil euros disponibilizados por meio de contratos programas celebrados com a autarquia.

Entre as obras mais ansiadas pela população estão a requalificação dos troços Cepos-Colmeal e Teixeira-Porto Castanheiro, cofinanciada pelo Fundo de Solidariedade da União Europeia, bem como a pavimentação da estrada entre o Casal Novo e o cruzamento de Cepos, que o executivo de Luís Paulo Costa teve oportunidade de percorrer durante a jornada de trabalho. Ainda no âmbito destas intervenções de reabilitação da rede viária, foi possível repor as condições de segurança e comodidade nas estradas, através da instalação de largos quilómetros de guardas metálicas e do reforço de sinalização vertical e horizontal.

A fechar a sessão, a comitiva camarária teve oportunidade de visitar o capril recentemente instalado em Cepos, que alberga cerca de 150 cabras em regime extensivo para limpeza florestal. Este projeto, desenvolvido pelos Baldios de Cepos e Casal Novo, foi financiado pelo Fundo Recomeçar, promovido pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, e contou com o apoio da Câmara Municipal de Arganil, da Escola Superior Agrária de Coimbra e da Associação de Produtores Florestais do Concelho de Arganil.

Sem o nível de proximidade e o diálogo desejável numa sessão desta natureza, em consequência das restrições sociais impostas pela Covid-19, esta jornada de trabalho assumiu a mesma pertinência que as sessões anteriormente realizadas, assegura Luís Paulo Costa.

“Temos bem presente que esta missão de fazer mais e melhor pelo território concelhio, de analisar problemas e encontrar soluções, só será bem-sucedida se unirmos forças aos agentes locais, às juntas e uniões de freguesia e, sobretudo, aos nossos munícipes” frisou o presidente da Câmara, revelando que “as preocupações, sugestões e expectativas dos cidadãos foram devidamente transmitidas pelo executivo da união de freguesias”.

Este ciclo de presidências participativas, que arrancou em janeiro, em resultado da forte vontade do executivo municipal, assumida no programa eleitoral sufragado pelos arganilenses, vai estender-se progressivamente a todo o concelho, através do prévio e articulado trabalho com as juntas e uniões de freguesia.

Depois de Piódão Pomares, em janeiro e março, respetivamente, e, agora, de Cepos e Teixeira, o périplo prossegue em freguesia a determinar brevemente.