Simulacro no Piódão junta Secretários de Estado, autarcas, população e alunos

O Município de Arganil está a desenvolver o programa “Aldeia Segura, Pessoas Seguras” no seu território. Este programa tem origem num protocolo firmado entre a ANAFRE, a ANMP e a ANPC e tem o objetivo de aumentar o nível de proteção das pessoas e bens em caso de ocorrência de incêndios de grandes proporções através do planeamento prévio de situações que obriguem à retirada da população para locais seguros mas fundamentalmente na formação da própria população acerca dos comportamentos corretos a adotar, no que diz respeito a 5 pilares fundamentais:

• Protecção dos Aglomerados, com base no cumprimento legal na gestão de combustíveis;
• Prevenção dos comportamentos de risco, nomeadamente no uso do fogo pelas populações;
• Sensibilização e Aviso à população, nomeadamente informação acerca dos mecanismos de alerta existentes;
• Evacuação de Aglomerados, relativamente aos procedimentos corretos para evitar acidentes;
• Locais de Abrigo e de Refúgio, em espaço fechado ou aberto respetivamente, para reunião das populações em segurança em casos extremos;

Baseado neste princípio, de elevado compromisso social de auto-proteção e de reforço da preparação da população e dos autarcas locais, desenvolveu-se uma Ação de divulgação e de preparação na simbólica aldeia do Piódão no passado dia 8 de Junho, numa iniciativa conjunta da ANPC e do Município de Arganil, que contou com a presença dos representantes do Município, Presidente da Câmara Municipal e Vereadora do pelouro responsável, Presidente da Assembleia Municipal e Presidente da Junta de Freguesia e dos representantes do Estado Central, Secretários de Estado da Proteção Civil, da Educação e do Turismo, e da CIM Região de Coimbra. A presença de representantes do Estado nestas 3 áreas aparentemente tão distintas justifica-se precisamente pelas características do Piódão e do próprio programa.

A aldeia do Piodão foi escolhida devido às suas características geográficas, devido ao status prioritário no que à prevenção de incêndios florestais diz respeito. E devido ao seu simbolismo. A Acão torna-se simbólica por ser simultaneamente um importante centro turístico da região, ao qual afluem durante todo o ano milhares de turistas, o que se traduz em responsabilidades maiores mas também dificuldades maiores na gestão dos acontecimentos em caso de evento catastrófico. Por estes motivos é ainda mais importante que cada um de nós tenha presente os princípios básicos de comportamentos adequados em situações de risco, daí a importância da educação para a proteção civil em idade escolar.

A ação desenvolvida incluiu os trabalhos de planeamento da evacuação das ruas da aldeia, com instalação de sinalética específica de percursos adequados para o local de refúgio coletivo designado. No dia da ação, estiveram presentes alunos do Agrupamento de Escolas de Arganil, que tiveram uma aula diferente, com as apresentações do CDOS da ANPC, e de cada Secretário de Estado, e participaram no simulacro de evacuação, fazendo o papel de visitantes da Aldeia, durante o qual foram também envolvidos os habitantes e comerciantes locais.

Com esta acção, saiu reforçado o nível de preparação da população e das forças responsáveis pela implementação dos procedimentos em casos de eventos catastróficos, que também marcaram presença, nomeadamente autarcas locais, técnicos do município, bombeiros e GNR.



Artigos Relacionados