Maria João Damas expõe no Átrio de Exposições Guilherme Filipe, em Arganil

 

“A PARTIR DA MEIA -NOITE” é a exposição da artista plástica, visual e performativa que vai ser inaugurada no próximo dia 6 de maio, pelas 17h30, no Átrio de exposições Guilherme Filipe.

Fica patente ao público de 6 a 31 de maio, podendo ser visitada das 9h00 às 17h30 de segunda a sexta-feira.

Dominada por pinturas abstratas, onde o cinzento coabita de forma plena e invulgar com o azul, apelando aos tons que surgem entre o anoitecer e amanhecer, A PARTIR DA MEIA-NOITE pretende imprimir uma intensidade natural a cada pintura, que nos leva a um entusiasmo intrínseco e nos conduz por fim a um estado de liberdade onde o sonho é tornado visível.

Inspirada no azul gradiente do crepúsculo, A PARTIR DA MEIA-NOITE intenta provocar no observador uma viagem doce e suave, por vezes solitária, entre a noite e o amanhecer, utilizando o sonho e o imaginário infantil, transportando-nos para uma natureza imaginada onde as formas se diluem na cor. O azul ganha assim intensidade e espacialidade, permanecendo para além do escuro, do cinzento e do preto.

Maria João Damas participou em diversas exposições. Entre tantas outras, salientam-se: a seleção do trabalho «Q1 – Not even after one more day…» pela London Art Biennale (Londres, 2021); Exposição digital colectiva, W1 Curates Gallery (Londres, 2021); «Malmequer, bem-me-quer, muito, pouco ou nada», Casa das Artes, (Miranda do Corvo, 2020); «Talvez fosse um outro eu…», Centro Cultural Penedo da Saudade, (Coimbra, 2020); «E nem depois de mais um dia… [quarantine collection]», Museu Municipal de Coimbra, (Coimbra, 2020); «Malmequer, bem-me-quer, muito, pouco ou nada», Centro Cultural Penedo da Saudade, (Coimbra, 2019).

 



Artigos Relacionados