Serviços municipais com instalações provisórias a partir de 17 de fevereiro

Vai ter início no dia 17 de fevereiro a empreitada de “Reabilitação do Edifico dos Paços do Concelho de Arganil”, que se propõe a corrigir os sérios problemas estruturais e funcionais que o imóvel apresenta. Esta intervenção, cujo prazo de execução é de 10 meses, representa um investimento global de 1.121.646,66€.

Durante as obras de reabilitação, os serviços municipais vão estar concentrados em três pontos distintos: no Centro Empresarial e Tecnológico de Arganil, localizado no Paço Grande, na Avenida Irmãos Duarte; na antiga sede da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo Beira Centro, na Av. das Forças Armadas e no edifício do Arquivo Municipal, antigo Jardim de Infância, no Largo Ribeiro Campos (ver imagem acima).

Inaugurado em 1941, o edifício dos Paços do Concelho teve uma intervenção de grande dimensão em 2000/2001, registando, atualmente, uma série de patologias que o colocam numa situação de risco e degradação contínua, nomeadamente ao nível da segurança, eficiência energética e climatização, rede de águas prediais e residuais, eletricidade e infraestruturas de telecomunicações. Por outro lado, o edifício não apresenta as condições ideias de acessibilidade e conforto que permitam à autarquia prestar o adequado serviço público aos munícipes e proporcionar as devidas condições de trabalhos aos colaboradores municipais.

Impunha-se, defende Luís Paulo Costa, presidente da Câmara, “uma intervenção profunda, que se propusesse a melhorar de forma efetiva a qualidade dos serviços prestados, a modernizar o edifício e os seus recursos e a valorizar o centro urbano da vila de Arganil, sem que se deixasse de respeitar a sua identidade”.

A intervenção, que contempla os três pisos que compõem o edifício, assenta na remodelação integral da cobertura do imóvel, na substituição da caixilharia exterior, na recuperação das fachadas e isolamento das paredes exteriores, na introdução de sistemas de climatização, iluminação, segurança contra incêndios e de gestão da energia mais fiáveis e eficientes e na remodelação das redes de comunicação e elétrica.

As soluções previstas no projeto de execução passam, ainda, pela deslocalização do Balcão Único para o Piso 0, de forma a melhorar a acessibilidade e ampliar o espaço de atendimento ao público, pela reorganização funcional dos serviços e reformulação dos gabinetes. Esta intervenção a realizar no piso 0, com vista à instalação do Balcão Único de Atendimento, resulta da candidatura apresentada pela autarquia ao Programa BEM – Beneficiação de Equipamentos Municipais, sendo cofinanciada pela Direção Geral das Autarquias Locais que assegura uma comparticipação financeira de 148.001,00€.



Artigos Relacionados