Executivo camarário promoveu Presidência Participativa na freguesia de Celavisa

Dando continuidade às jornadas de trabalho que têm vindo a ser realizadas pelas freguesias ao longo dos últimos meses, o executivo da Câmara Municipal de Arganil promoveu em Celavisa, na passada quarta-feira, 30 de setembro, nova sessão participativa.

A equipa liderada por Luís Paulo Costa contou com o acompanhamento da presidente de junta, Rosário Oliveira, na visita às localidades, tendo oportunidade de verificar as obras recentemente realizadas e as que estão em curso. Em estreita articulação com a Junta de Freguesia de Celavisa foram, também, estabelecidas prioridades relativamente às necessidades do território e às pretensões da população.

A jornada teve início na sede de freguesia, com a visita ao parque infantil, alvo de requalificação no âmbito de um contrato programa celebrado entre as duas autarquias, no valor 18.000€, e passagem pela Rua José Caetano da Costa, recentemente incluída numa empreitada camarária de reabilitação de vias municipais no valor de 165 mil euros.

Ainda em Celavisa, a comitiva avaliou, no terreno, a pretensão da junta de freguesia em executar trabalhos de valorização na ribeira de Celavisa, apontando atenções, de seguida, para os melhoramentos evidenciados na zona balnear e para o passadiço em madeira construído sobre a ribeira, ambos levados a cabo pela junta de freguesia na sequência de contrato programa celebrado com o município. Já a localidade de Caratão, incluída também no périplo realizado, beneficiou recentemente da instalação de largos metros de gradeamento em madeira tratada.

Na mira do executivo camarário esteve igualmente a necessidade de reabilitar o troço da estrada que liga as localidades de Linhares e Pracerias, cuja intervenção de pavimentação faz parte do plano de reabilitação da rede viária do concelho. A sessão incluiu, por fim, a deslocação à localidade de Sequeiros, onde foi sinalizado um abatimento na plataforma da estrada, tendo em vista a sua resolução.

“Foi mais uma sessão de trabalho em que confirmámos aquilo que sempre defendemos e que nos motivou a dar início esta ação de proximidade e de convite à participação: é no terreno que conseguimos efetivamente analisar os problemas sentidos pelas pessoas e encontrar as soluções ajustadas a cada freguesia, a cada localidade”, apontou Luís Paulo Costa, destacando o papel determinante que os executivos das juntas e uniões de freguesia assumem junto das suas populações.

O ciclo de presidências participativas arrancou em janeiro deste ano e vai estender-se progressivamente a todo o concelho, tendo já passado pelas freguesias de Piódão (janeiro), Pomares (março), União das Freguesias de Cepos e Teixeira (junho) e S. Martinho da Cortiça (setembro).